Quimera - por José Lopes da Nave

Quimera - por José Lopes da Nave

QUIMERA

 
 
 
Doce quimera que te percorres
 
em meus sonhos,
 
os coloras de anil,
 
os perfumas de jasmim,
 
a aromatizar a noite
 
que se faz amante.
 
Voejas no sonho,
 
resto eu acordado
 
em ti meditando,
 
a simples verdade que me trouxeste.
 
Com o teu primeiro olá,
 
deste sentido ao meu mundo vazio.
 
Entraste na minha vida
 
e fizeste viver o bem,
 
preencheste a minha alma
 
de um todo muito especial,
 
com canções dos anjos,
 
e imaginações ternurentas,
 
que, em todo o lado,
 
nunca estou sozinho,
 
contigo por perto.
 
Procuro tua mão e ela continua lá.
 
 
 
 
 
QUIMERA
 
 
 
Doce quimera que te percorres
 
em meus sonhos,
 
os coloras de anil,
 
os perfumas de jasmim,
 
a aromatizar a noite
 
que se faz amante.
 
Voejas no sonho,
 
resto eu acordado
 
em ti meditando,
 
a simples verdade que me trouxeste.
 
Com o teu primeiro olá,
 
deste sentido ao meu mundo vazio.
 
Entraste na minha vida
 
e fizeste viver o bem,
 
preencheste a minha alma
 
de um todo muito especial,
 
com canções dos anjos,
 
e imaginações ternurentas,
 
que, em todo o lado,
 
nunca estou sozinho,
 
contigo por perto.
 
Procuro tua mão e ela continua lá.
 
 
 
José Lopes da Nave

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

         

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor