Espontaneidade - por Maurício Duarte

Espontaneidade - por Maurício Duarte

Espontaneidade

 

Agir espontaneamente é aparentemente fácil para algumas pessoas e dificílimo para outras. Muitos diriam desse modo sobre essa questão.  Mas isso não corresponde à realidade. Aqueles que se consideram espontâneos são apenas ajustados ou extrovertidos, o que é bem diferente de ser espontâneo.  Aqueles que são considerados ou que se consideram rígidos, os de “cintura dura”, os desajustados, nem sempre são não-espontâneos. Por vezes, são apenas introvertidos ou antissociais.

Ser espontâneo, nesse contexto, desenvolve-se concomitantemente com o desenvolvimento espiritual de uma pessoa e não se coaduna com ideias de falsas respeitabilidades ou falsas seguranças que oprimem outrem para acumular honrarias ou vantagens materiais ou psicológicas para si mesmo.

Segundo os taoístas, espontaneidade tem relação com consciência primordial que é diferente de voluntarismo, insistência, fixidez ou egoísmo.  Não depende de cálculos ou raciocínios e não tem começo nem fim, penetrando no universo.  Um shaman ou pajé chamaria essa espontaneidade de a mente-que-sabe.  A mente-que-sabe não pensa, não analisa, não planeja, ela sabe, ela simplesmente sabe.

A falsa consciência repete hábitos e costumes, examina e disseca em grandes planejamentos.  A consciência primordial, por sua vez, dá um salto e extrapola, adquirindo sabedoria de uma só vez, como diria o Tantra, sem gradações.  Só a consciência primordial pode possibilitar a espontaneidade.  Para alcançá-la, segundo os taoístas, é preciso se livrar de cinco obstáculos, basicamente.

A confusão: Ocorre na mente com ideologias falsas, ideias de lucro, de honra, ideias de superioridade, por exemplo.  E no corpo com doenças, fome, frio, dor e prazer.

A dúvida: Opiniões, interpretações e falsas doutrinas entram na mente e a tornam contrárias à devoção.  Devoção é, em suma, confiar.

O sectarismo: Onde se critica a fé e as crenças do próximo, baseando-se numa intolerância.

Os escritos: Quando são levados ao pé da letra são um empecilho que não deixa o adepto vislumbrar a essência do ensinamento.

A tradição: Também pode criar impedimentos por oferecer falsos mestres que se aferram a determinadas fantasias e falácias.

Desse modo, ainda de acordo com os sábios do Tao, é preciso cultivar corretamente os três tesouros: vitalidade, energia e espírito.  A vitalidade é a raiz da essência e da vida, o corpo de sangue e carne.  A energia nos seres humanos é o movimento físico, a atividade, o discurso e a percepção, o uso do corpo, o portal da vida e da morte. O espírito é a luz nos olhos, o pensamento na mente, a sabedoria e a inteligência, o conhecimento inato e a capacidade, a consciência e a compreensão, o fundamento da duração da vida.

Alguém espontâneo não é ajustado à sua realidade ou exibe grandes argumentações e exibições de extrovertido.  Alguém espontâneo é uma ser humano espiritualizado, consciente de seu lugar no mundo, sem ser introvertido ou extrovertido, nem ajustado nem desajustado.  A espontaneidade vem naturalmente com o equilíbrio dessas faculdades no homem e na mulher de visão que vivem em tranquilidade e harmonia. Paz e luz.

 

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor