Helena Santos - Colunista

Helena Santos - Colunista

Helena Maria Magalhães Cardoso dos Santos, 49 anos, nasci em Angola de onde vim para Portugal com 10 anos, aquando do 25 de Abril de 1974. Sou casada e tenho um filho. Tenho o 12º. Sou Casapiana. Estudei na casa Pia de Lisboa – Secção de Santa Clara. Nunca fui uma aluna brilhante, mas sempre fui das melhores na disciplina de Português e Educação Física. Sempre gostei de ler, sempre devorei livros, até à morte do meu pai, altura em que deixei de fazer muita coisa e nunca mais fui a mesma. Continuo a ler, mas não com a mesma intensidade. O meu primeiro contacto directo com a poesia foi em 2011, com o convite para administradora de um grupo de poesia, que acabou por ser uma experiência enriquecedora. Só comecei a escrever em Fevereiro de 2013. Isso para dizer que se a escrita nasceu comigo, estava disfarçada porque até meses atrás, não tinha dado por ela. Dos 12 aos 28 anos, estive mais ligada na prática e em fomentar o desporto, mais propriamente o Ténis de Mesa.

 

Perfil no Facebook

https://www.facebook.com/helena.santos.714

 

 

Blog

http://jardimsorrisosdepoesia.blogspot.pt/

 

Grupo no Facebook “Pincelando, Fotografando, Poetando”

 https://www.facebook.com/groups/pincelando.fotografando.poetando/

Grupo Sorrisos Nossos

https://www.facebook.com/groups/sorrisosnossos/

 

 

 

Helena Santos - Colunista

Tiveste tanto tempo - por Helena Santos

TIVESTE TANTO TEMPO   Tiveste tanto tempo para me ver e só para mim olhaste Tiveste tanto tempo para me conhecer e só o meu nome fixaste Tiveste tanto tempo para te arrependeres e nem para trás olhaste Tiveste tanto tempo para mostrar ser gente mas não tiveste coragem, sequer tentaste Tiveste...

Sorrisos gratuítos - por Helena Santos

SORRISOS GRATUITOS   Os meus sorrisos São novelos de mel Que se desenrolam Sem aviso prévio São espontâneos e com eles Vou bordando e pincelando Os corações férteis Que não têm medo de receber Nem de se entregar A sentimentos seculares, sagrados Tão simples, como a amizade e o amor Fazendo...

Rosas sem espinhos... - por Helena Santos

ROSAS SEM ESPINHOS?   Se não me for permitido errar Que ando aqui a fazer? Mas errando não posso esquecer Que os meus erros devo assumir E com as consequências conviver Não é bonito deles fugir E a terceiros os atribuir É pura cobardia Todos temos legitimo direito De caminhar, tropeçar e até...

E porque... - por Helena Santos

E PORQUE... E porque sinto-me abençoada E porque não devo perder a esperança E porque sou fraca, mas não desisto de amar E porque acho-me uma imbecil, já que perco tempo com imbecilidades e deixo pedaços de vida escaparem-se pelos dedos E porque não tenho capacidade para abrir o coração dos outros,...

Precisei... - por Helena Santos

Precisei ouvir…ouvi Precisei chorar…chorei Precisei implorar…implorei Precisei aceitar…aceitei Ainda assim… Precisei perdoar…perdoei Precisei esquecer…esqueci Precisei mudar…mudei Precisei compreender…compreendi Mas depois… Precisei amor…não fui amada Precisei perdão…não fui perdoada Precisei...

Não há dias iguais - por Helena Santos

NÃO HÁ DIAS IGUAIS   Os meus dias nunca são iguais O que me magoou já ficou, algures São dores que, não, não sinto mais Só saboreio o bem que a vida me traz Foram cascatas de lágrimas amargas Poluindo e escurecendo o meu horizonte Mas o sol voltou a brilhar, a me iluminar E nas suas largas...

Amigo - por Helena Santos

AMIGO   Um farol que me guia, ilumina Um sorriso que me amima E ainda um poderoso abraço Que me transmite segurança Tal como a casinha da árvore Quando era criança Nos olhos vejo a alma, a calma De quem tanto me dá e nada reclama E embriago-me com gestos adocicados Que melam o meu...

A vida não se compadece - por Helena Santos

A VIDA NÃO SE COMPADECE   Olhei, vi e quase não reconheci Porque a vida não se compadece Suga-nos tudo, cobrando o que oferece Um semblante moldado pelas mãos dos anos O olhar perdeu o brilho, esmoreceu Sinal de que muito se perdeu A porta para a alma, estava fechada Porque para além dela,...

Cores do Silêncio - por Helena Santos

CORES DO SILÊNCIO   Os silêncios povoam a nossa mente Uns quase nos enlouquecem, ensurdecedores Também os há mudos e calados, Que nos deixam ocos, vazios, prostrados Mas os que me impressionam, são os multi cores Para saber distinguir, é preciso ter sentido as dores Já atravessei todos os seus...

Perto de Deus - por Helena Santos

PERTO DE DEUS   Gosto de estar perto do céu ou de Deus, quando me sinto sem chão. Por isso, escalei a montanha mais alta que os meus olhos alcançaram. Fui à procura de ti, ao encontro de mim. Encontrei um céu azul alegria, umas nuvens transparentes e um sol ardente, mas consciente de que...

Amante das palavras - por Helena Santos

AMANTE DAS PALAVRAS   A ti, amante Que te passeias pela avenida das palavras Olhas, olhas, mas nada vês para além de ti Simplesmente porque há letras caídas no chão Essas letras, representam a humildade E estão caídas, para chamar a tua atenção Descalça-te, põe os pés no chão e experimenta a...

Maio Tatuado - por Helena Santos

MAIO TATUADO Maio, mês tatuado Com um beijo roubado Mil desejos de um falso E um amor representado Num palco criado Com ilusões camufladas Onde excitações plásticas Vomitaram prazer E afogaram um sonho Que só queria amanhecer Iluminado por um sol Ardente e brilhante Testemunhado por um mar De ondas...

Jantar com a Morte - Helena Santos

JANTAR COM A MORTE   A Morte bateu-me à porta e convidou-me para jantar. Não foi a primeira vez que solicitou a minha pessoa, para se fazer acompanhar. Hesitei, por alguns momentos. Mas lembrei-me que a Vida se esqueceu de mim e já nem o meu nome deve saber. Deixou de me ligar, visitas nem...

Cosendo - por Helena Santos

COSENDO   Das linhas com que me coso Todos os dias desato nós Há sempre um pedaço da vida, rasgado Que com paciência vou cosendo Sem precisar ser remendado Os ventos passam Mas deixam a fragilidade no sentir E a cada rasgão O coser torna-se mais doloroso As linhas mais frágeis Os nós, esses,...

Pedaços Perdidos - por Helena Santos

PEDAÇOS PERDIDOS Saudade… Às vezes enche-nos a alma De uma melodia estranha e intensa Que mesmo de olhos abertos Nos transporta por completo Àqueles momentos de pleno fascínio Em que por mais que o tempo passe Somos capazes de visualizar as gotas de suor Sentir os dedos a deslizar pelo nosso...

Dia Feliz - por Helena Santos

DIA FELIZ   Hoje acordei perfume Livrei-me do azedume Desci à fonte do querer E recuperei a energia perdida Nas noites em que a escuridão era tal Que já nem o corpo alcançava a vida Pintei-me de arco iris E os meus longos cabelos negros Enfeitei-os com cachos de amizade pura Sem prazo, sem...

Não presto, mas amo - por Helena Santos

NÃO PRESTO, MAS AMO!   Sim, não presto mas já prestei… Quando os cabelos brancos eram apenas raios de luz, a frontalidade uma virtude e a lealdade um tesouro a preservar. Não presto mas sou tudo que de mim resto, depois de abraçar o tempo, mesmo sem tempo; silenciar a dor com gritos de cor;...

Nunca se desiste - por Helena Santos

NUNCA SE DESISTE!   O amor não se foi O desejo não acabou A raiva de onde veio Se eu ainda aqui estou? É amor camuflado, Disfarçado, envergonhado? Ou estás mesmo equivocado? Quem ama, quer ser amado E não há nada de errado Não ignores o brilho do passado É digno de ser lembrado Mas o presente...

A Primavera ainda não chegou - por Helena Santos

A PRIMAVERA AINDA NÃO CHEGOU   Ainda não se mudou, mas aos poucos vai deixando sinais seus, nos meus canteiros. As árvores foram tomadas de assalto por bandos de pássaros que chilreiam como se tivessem encontrado o tesouro perdido, ou regressado à escola primária e reencontrado os amiguinhos,...

E o outro - por Helena Santos

E O OUTRO?   Todos os dias Oiço histórias mirabolantes Leio episódios impressionantes E acho preocupante Os humanos destroem-se À velocidade da luz Quase ninguém olha para o outro Quase ninguém ajuda o outro Quase todos falam do outro Quase todos se juntam contra o outro Quase todos julgam o...

Há dias assim - por Helena Santos

HÁ DIAS ASSIM!   Há dias em que a tristeza se apodera de mim E nem uma flor desabrocha no meu jardim Para que com a sua beleza e luz Eu possa expulsar essa escuridão Que não tem fim Há dias em que a tristeza se apodera de mim E por mais que o vento cante E as nuvens dancem Não conseguem...

Morangos - por Helena Santos

MORANGOS   Os morangos que me ofereceste Eram doces pedaços de ti Foram caixas e mais caixas Eu comi, comi e tanto me ri Os morangos que de ti comi Tinham alma, eram vida E adoçaram o que por ti sentia Sempre na chegada, nunca na partida Os morangos que quis em ti saborear Vinham recheados...

Lágrimas e Palavras - por Helena Santos

LÁGRIMAS E PALAVRAS   Caiu uma lágrima e transformei-a numa letra Veio uma segunda e juntei-a à primeira Lágrimas de dor jorram como de uma torneira e com tantas letras ao dispor não tive qualquer problema em juntar uma e outra, formar palavras com cor e compor uma bela poesia secando a...

A Folha - por Helena Santos

A FOLHA   Esquecida, pisada Dizem para nada servir Mas já foi amada, admirada Ou somente usada E de tanto se dar Defraudou-se de si O que recebeu Como sendo de coração Foi apenas manipulação Não veio de dentro, com sentimento Resta o lamento De quem tudo fez, tudo deu E de viver se...

1 | 2 | 3 | 4 >>

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

        

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor