O fim? de Jesus - por Antonio Eustáquio Marciano

O fim?  de Jesus - por Antonio Eustáquio Marciano

O fim? de Jesus.

(Narrativa do século I, no livro Talita e Talia: por que os homens matam o amor)

O mundo pouco mudou após sua morte. A maioria das pessoas continuou sua vida, muitos se esqueceram dele, e outros dele sequer ouviram falar. Porém algumas mulheres, passados os dias da pascoa, procuram tomar providências em relação ao corpo de Jesus, como se faz com qualquer pessoa que morre. Não conseguiram, porém, pois, ao chegarem ao túmulo não viram mais o corpo. Essas mulheres ficaram muito confusas e informaram que o corpo de Jesus não estava mais no túmulo, onde o haviam colocado dois dias antes. Hoje muitos pregam que ele ressuscitou dos mortos ou não morreu ... O que percebo é que ... Bem, não consigo expressar o que penso ... Não consigo compreender. O que vejo, e tenho certeza, é que Ele continua vivo no meio dos homens e mulheres que são solidários, vivem em irmandade, partilham de tudo que têm e são felizes. Eu tive a graça de viver a história de Jesus, aprender os seus ensinamentos. E sou feliz. Aprendi que todos nós, seres humanos, poderemos ter vida e felicidade eternas. Basta conhecer Jesus e viver como Ele.

“Eloi, Eloi, lama sabactani?” Este foi um brado de Jesus quando estava preso à cruz, entre dores horríveis, com dificuldade para respirar, pela disposição de seu corpo esticado pelos pés e pelos punhos, afixados nas extremidades da cruz, por meio de cravos. O que será que este brado quis dizer? Aquele homem que era puro amor estava clamando ao seu Deus, o Senhor, que o acompanhara desde o início, e agora ele pensava que o estava abandonando, justo no momento em que ele, Jesus, mais necessitava da força do Pai. Seria isto possível. Se cremos nas palavras de Jesus, que mostrou que Deus é um pai que ama seus filhos e jamais os abandona, saberemos que este brado foi um momento de fraqueza do Jesus homem. Estaria Jesus delirando, com alguns, aos pés da cruz julgavam? Ou ele estaria deixando de crer na presença constante do Senhor em todos os momentos de sua vida? Neste caso, Jesus estaria cometendo um pecado? Mas Jesus era incapaz de pecar. Então, como compreender este brado, uma vez que ele é proferido no pretérito perfeito? A dúvida que resta é o motivo do suposto abandono por parte do Pai. Penso que a resposta nos é dada pelo próprio Jesus, quando em seguida, num forte grito, entrega ao Pai o seu espírito. Neste brado, ele revela a sua genuína humanidade. Jesus foi um homem como todos nós, mas em um fundamento ele se diferenciou: em sua vida não existiu o pecado. Ao ver aproximar a morte violenta, sentiu muito medo e até pediu ao Senhor que o livrasse de tudo, mas, em seguida, declarou que aceitava o sofrimento se fosse necessário. Ele foi humaníssimo.

Por que o mundo matou Jesus de Nazaré, o Amor encarnado? Creio que se conseguirmos responder esta pergunta estaremos dando um grande passo para a construção de um mundo melhor; se compreendermos, se aceitarmos Jesus em nossas vidas, se passarmos a praticar os seus ensinamentos e a viver o seu exemplo, creio que estaremos trazendo-O de volta para nós e para os nossos irmãos, e Ele estará se instalando no meio de nós. Aí estará o reino do Pai amoroso, ou seja, a vida plena, a felicidade.

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

         

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor