Poeta - por José Sepúlveda

Poeta - por José Sepúlveda

Poeta

 

Pegou numas palavras ocas vãs

Tiradas duma arca de venturas...

Juntou-lhes coisas boas, coisas más

E polvilhou com frases bem  maduras.

 

E o sentimento livre que se faz

De coisas simples, quem sabe inseguras, 

Partiu á descoberta, sem afãs, 

De vivo colorido, imagens puras.

 

E de repente, viu-se confrontado

Com mil palavras, num amontoado...

Limpou-as  burilou-as, deu-lhes brilho... 

 

Deixou voar bem alto o pensamento

Em plena liberdade... E num momento

Soltou seu grito... - Ó Deus, nasceu-me um filho!

 

José Sepúlveda

 

 

 
Poeta
 
Pegou numas palavras ocas vãs
Tiradas duma arca de venturas...
Juntou-lhes coisas boas, coisas más
E polvilhou com frases bem  maduras.
 
E o sentimento livre que se faz
De coisas simples, quem sabe inseguras, 
Partiu á descoberta, sem afãs, 
De vivo colorido, imagens puras.
 
E de repente, viu-se confrontado
Com mil palavras, num amontoado...
Limpou-as  burilou-as, deu-lhes brilho... 
 
Deixou voar bem alto o pensamento
Em plena liberdade... E num momento
Soltou seu grito... - Ó Deus, nasceu-me um filho!
 
José Sepúlveda

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

         

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor