Anchieta Antunes - Colunista

Anchieta Antunes - Colunista

José de Anchieta Antunes de Souza, nasceu em Olinda, em 24 de janeiro de 1938. Desde jovem desfrutou do prazer de escrever, sem ter o cuidado de guardar seus textos, deixados perdidos pelos caminhos da vida. As letras escritas à mão ou em máquina datilográfica, desceram a ribanceira do esquecimento, do não retorno... Com 59 anos aposentou-se e estabeleceu residência em Gravatá – PE, onde vive até hoje, com a esposa, a escritora uruguaia-brasileira Dea G. Coirolo e um dos netos. Aqui retomou a arte de escrever. Faz parte da Academia de Letras, Artes e Ofícios Municipais de Pernambuco em Bezerros. Tem dois livros em preparação: um de crônicas da vida e o outro sob um bebê, desde sua gestação até os três anos de idade, que conta “segredos ao pé do ouvido do seu avô” e discorre irônica e humoristicamente sobre o deslumbramento das descobertas que proporciona o crescimento. Vem fazendo uma coleção de crônicas humorísticas com um personagem chamado Libório, onde muitas de suas experiências de vida dão um toque às histórias. Aqui apresentamos uns poemas escritos depois de seus setenta anos de idade quando resolveu acrescentar poesia a sua escritura. Publicou na Antologia poesia do Brasil, volume 18, do XXI Congresso Brasileiro de Poesia em Setembro de 2013. Tem publicações on-line, sendo colunista do blog de Lenilson de Caruaru e como tradutor oficial da Academia de Letras (ALAOMPE) da língua portuguesa para a espanhola.

 

 

 

 

Jose de Anchieta Antunes - Colunista

O Vento - por Anchieta Antunes

O V E N T O   Pejado de gotículas sabendo a sal, espicha-se indolente em seu início de vida recorrente. Na subida da serra sente-se devastado, dilacerado por galhos, folhas, rasgado por conceitos grotescos de concreto. Sente-se mutilado por navalhas da natureza em sua forma abstrata. Sua...

Canções Noturnas - por Anchieta Antunes

CANÇÕES NOTURNAS   Prosa poética por Anchieta Antunes em noite de lua cheia.   Trovador, cancioneiro, seresteiro, três entes, três canções, três lágrimas que regam as pedras brilhantes na réstia do poste, sob a sacada da donzela cobiçada, da paixão que brota aos pulos nos...

Amores - por Anchieta Antunes e Dea Coirolo

A M O R E S –  Hoje eu quero. (poemas concatenados) Indefeso diante de um sentimento apátrida, caminho nas veredas  do mundo obscuro, em busca da pessoa que possa acolher,  apaziguar e  comigo digerir o vulcão que eclode em minhas entranhas, dilacerando  dias e...

Sensibilidade - por Anchieta Antunes

SENSIBILIDADE   Sinto a pele eriçada de ingentes expectativas, o sol plasmando a sensibilidade; possuo  reflexos de paixões, e o efêmero gozo do triunfo.   Quando o dia se prolonga pela eternidade, refreio meus ímpetos por perseguir o destino, com receio de encontrar a verdade...

S A U D A D E - Por Anchieta Antunes

S A U D A D E   Saudade é o contorno da desdita que  acontece no coração dos distantes.   Saudade tem cor de amargura laqueada, e gosto de azedume cativo do destino.   A pele do saudoso é crosta maltratada com opacidade de horror, sussurro de perdão, e apelo de amante...

O Escritor - por Anchieta Antunes

O   ESCRITOR               –Onde estou? Não reconheço este lugar! A luz fere meus olhos.             –Onde você pediu! No corredor da inspiração. Feche os olhos e enxergue...

Escrever - por Anchieta Antunes

E S C R E V E R   Não quero alimentar meus versos com letras enfermiças devido ao mau uso, muito menos com o uso torpe e ditatorial do verbo calar.  Não quero envilecer minhas estrofes com palavras cansadas pela repetição, pela rima forçada, pela incoerência da falta de sentido...

M O R T E - por Anchieta Antunes

M O R T E   Primogênita da vida; para alguns a revelação, para outros a primeira refeição.   De um lado,  o começo de tudo, e do outro, a finitude, o sossego da carne.  Sei de tudo que não preciso saber; sei da água que lava minha alma, purificando o vácuo deixado pela...

O Segredo da Cachoeira - por Anchieta Antunes

O   SEGREDO   DA   CACHOEIRA               Dom Albuquerque, cidadão já avançado em idade (60 anos), com a pele engelhada, e com sulcos abissais, é um homem ensimesmado, caviloso e com um tremendo bom humor....

Vida Ligeira... - por Anchieta Antunes

VIDA   LIGEIRA...   E já é inverno... sabe? O tempo tem sua maneira especial de mover-se rápido e encontrar-te desprevenido no passar dos anos. Parece que ontem eu era jovem, recém-casado, embarcando em minha nova vida com minha mulher. Isto faz 32 anos.  Porém de certa forma...

Risos e Sorrisos - por Anchieta Antunes

R  I  S  O  S         E          S  O  R  R  I S  O  S         É uma família grande, com primos e aderentes. Tem de todos os...

Lavadora Automática - por Anchieta Antunes

LAVADORA   AUTOMÁTICA            Sou uma delas; grande, forte, resistente e branca; branca metálica brilhante. Acho que nasci branca para deixar as roupas bem branquinhas, e, naturalmente, limpas, do contrario não faz sentido trabalhar em ...

Amor Secreto - parte 1 - por Anchieta Antunes

            AMOR  SECRETO I  PARTE               Nós tínhamos acabado de nos mudar para aquela casa na esquina da rua. Gostei muito do terreno; todo terreno de esquina é maior que os demais da...

Libório no Pantanal - por Anchieta Antunes

Libório no Pantanal                                         –Sonia, vou viajar, por favor, faça minha mala.            ...

A C H I S P A - por Anchieta Antunes

A       C  H  I  S  P  A                                ...

Mulheres para sempre - por Anchieta Antunes

MULHERES   PARA   SEMPRE               Mulher, a prerrogativa matutina para quem se ama. O privilégio de quem a ama. O soluço da emoção incontida, o suor que da testa goteja, para quem dela se...

...queria só mais uma semana - Anchieta Antunes

...queria só mais uma semana   para amar minha mãe  um pouquinho mais... para fazer-lhe carinhos, passar a mão em seus cabelos brancos, beijar suas bochechas. Queria um pouco mais de tempo em sua companhia para aprender a ser um homem de bem, com atitudes retas, com o caráter...

A DEA - Rastro de Amor - por Anchieta Antunes

RASTRO   DE    AMOR         Inda que eu desapareça, continuarei vagando como uma sombra errante, sofrendo  estertores platônicos, de uma saga inacabada, perseguindo rastros de um amor nunca concluído.   Como íncubo...

Juventude Trasviada - por Anchieta Antunes

J U V E N T U D E    T R A S V I A D A               Aconteceu num baile para idades avançadas, onde amizades fecundas existem desde tempos imemoriais. O mais jovem cidadão, um “braquicatacto matusalênico”, não comemorou o...

Mulheres para sempre - por Anchieta Antunes

MULHERES   PARA   SEMPRE               Mulher, a prerrogativa matutina para quem se ama. O privilégio de quem a ama. O soluço da emoção incontida, o suor que da testa goteja, para quem dela se...

Limbório - Quizumbas Matrimoniais - por Anchieta Antunes

QUIZUMBAS  MATRIMONIAIS   Libório e Sonia estavam programando uma viagem de férias, quando surgiu o impasse: ele queria ir para os lagos do Chile e ela para Bariloche. Se tivessem dado uma olhada rápida no mapa teriam visto que com uma só viagem atenderiam aos dois objetivos. Acontece que...

Chuva na Serra - por Anchieta Antunes

    C  H  U  V  A      N  A        S  E  R  R  A          Um caudaloso rio procurava em desespero uma falha no firmamento para desabar em cascata;...

Sonho Encantado - por Anchieta Antunes

SONHO ENCANTADO   O que vou contar a seguir é fruto da imaginação um sonho; um sonho que sonhei e que me encantou. Os sonhos não são embustes, mas sim fantasias que desejamos durante a vigília diurna. Quanto mais criatividade intelectual, mais fantasiosos os sonhos, e, consequentemente, mais...

Amor Brejeiro - por Anchieta Antunes

AMOR  BREJEIRO               Foi na boca da noite de um inverno brabo que, no terraço do casarão, Otacílio me contou toda esta historia que agora passo pra frente. Chovia todas as chuvas da vida numa só tarde, o tempo estava cinzento...

E M P L A Q U E I 7 8 - por Anchieta Antunes

 E  M  P  L  A  Q  U  E  I      7  8               Hoje completei meus 78 anos de superfície. Tem sido uma aventura espetacular, fantástica, maravilhosa, mais...

T O Q U E - por Anchieta Antunes

T    O    Q    U    E   Quando me ponho ao seu lado para espichar mais uma noite de sono, gosto de sentir minha mão sobre seu ombro, ou meu braço cingindo sua cintura, absorvendo o toque de pele contra pele, ou devia dizer: de pele a...

Minha choça - por Anchieta Antunes

MINHA     CHOÇA               Era minha, e mais ainda porque eu a construí sozinho, sem ajuda. Claro! Contei com o beneplácito do barro à margem do rio que circunda minha pequena propriedade. Foram dois meses de luta;...

P I S T I L O - por Anchieta Antunes

P I S T I L O   Roxo, intumescido, vibrante, aríete receptor, extremidade, estigma piscando ansiedade polinização glorificada, berloque indispensável nos jardins primaveris.   Anchieta Antunes Gravatá – 20/05/14      

S O B R A S - por Anchieta Antunes

S O B R A S   Pois é, hoje vamos comer sobras, ou seja, o que sobrou de ontem, das festas de final de ano, de Natal e Ano Novo. Vamos partir para os restos de peru, frango “Chester”, pernil, arroz com passas, com cenoura, com ervilhas, com milho cozido, com qualquer coisa que a inventividade...

21 de dezembro inicio do Verão - por Anchieta Antunes

V  E  R  Ã  O   Vocês verão que chega o VERÃO copioso em suores, testa enrugada vincada de sofreres.    A camisa!  um flagelo de cores aturando os calores, que virão sem sabores.   Clima abrasivo, cansaço alternativo, vontades vencidas pela natureza...

O Primeiro Voo - por Anchieta Antunes

O   PRIMEIRO   VOO   O meu primeiro voo, um rasante em minhas planícies ansiosas por resultados positivos. Ainda não sei se este voo pode ser comparado ao de uma águia altaneira ou ao  impulso de um “sibito baleado”. O tempo...

Natal de luzes - por Anchieta Antunes

N A T A L    D E    L U Z E S               O carneirinho felpudo e branco pastando no campo ao lado de seus iguais, balindo sons lânguidos e preguiçosos. Uma pastagem longa e plana, verde e acalentadora, nos...

Noite e Dia - Anchieta Antunes

N  O  I  T  E        E        D  I  A               Fisiologicamente diz-se que o sono noturno repousa mais que o diurno, ou seja, que a...

Saudade - por Anchieta Antunes

SAUDADE   Ah! Instrumento de tortura, que rasga as defesas do espírito mais ladino. Ferro em brasa que vai queimando e cauterizando as feridas do coração. O tamanho da distancia não tem o menor significado, a menor importância. Pode estar ao lado acolhida no desprezo da insalubridade, da...

Solidão - Anchieta Antunes

SOLIDÃO              VASTIDÃO                                     AMPLITUDE              Observado de...

Libório e a Escada... - por Anchieta Antunes

LIBÓRIO   E   A     ESCADA...               ­–Sonia, a escada está pronta e não falta nenhum batente, está perfeita.             ­–Libório,...

O Aprendiz - por Anchieta Antunes

O     A  P  R  E  N  D  I  Z               Aconteceu mais rápido do que a intenção. Não sei se a burla fechou um de meus olhos para provocar o inevitável, ou se foi o meu Pai Celestial...

Nordeste - por Anchieta Antunes

N  O  R  D  E  S  T  E   No nosso claro e utópico rincão pisamos tórrido solo, gretado, cáustico, solidário; por combustível temos a paixão por nossas raízes fincadas  no chão onde a magia nos faz buscar uma réstia de vida nas curvas do indócil...

Prisioneiro - por Anchieta Antunes

Prisioneiro   Na trilha do Halley entre labaredas e fagulhas riscando um céu mil vezes riscado iluminando a chama do dia, brilha na noite eterna fulge nos pingos de dor, tinge a crua verdade traçando ensinamentos e rasgando entranhas para eviscerar erros perpétuos e ensinar novos...

Rio Jauaperi - por Anchieta Antunes

Rio Jauaperi   ...diga aos meus amigos que mando um grande abraço e que me recinto de nossos agradáveis papos à luz da lua na margem da estrada, momentos em que murmurávamos com prudência, sibilando as palavras, nossos planos mais íntimos de aventuras iminentes. De quanta coragem dispúnhamos...

O Tempo - Por Anchieta Antunes

O        T  E  M  P  O               Quando falo de mim, o relógio sempre se faz presente em minhas cavilações. Ele é a minha penitenciaria de segurança máxima, logo, sou o seu...

Limbório no Mercado da Encruzinhada - por Anchieta Antunes

Libório no Mercado da Encruzilhada   Aos domingos eles levantavam mais tarde. Dia de descanso, não há nada para fazer. “OU HÁ” ?  _Até Deus descansou no sétimo dia, por que Libório não pode acordar mais tarde? Poderia ter ficado na cama até oito ou nove horas, mas o hábito não o deixa...

Limbório e a impressão perdida de seu amor - por Anchieta Antunes

Libório             e a impressão perdida de seu amor.            Todos sabem que nosso amigo Libório tem suas idiossincrasias continuamente em turbulência, sempre em voo de angústia, senão de perigo...

As Amantes - por Anchieta Antunes

  A S        A M A N T E S            Otacílio, nos seus idos de quase setenta anos, resolveu numa manhã de extremo calor, e depois de uma noite mal dormida, que devia, que queria, e que ia arranjar uma amante....

Libório e a Sogra - por Anchieta Antunes

LIBÓRIO    E    A    SOGRA Que viagem atribulada...            _Não! Eu não vou, não saio de casa, não ponho os pés na rua, muito menos num taxi. Pode ir embora e me deixar em...

Um dia nos aeroportos - por Anchieta Antunes

                                        Gravatá –...

P A Z - por Anchieta Antunes

P  A  Z                   A paz é uma flâmula, uma cor, um brado silencioso que conclama os bons corações a rechaçarem as hordas insurretas que pugnam pela anarquia....

Mãe... Estou aqui... - por Anchieta Antunes

Mãe...          Estou aqui...            Quando eu era pequeno passava o dia todo correndo de um lado pro outro, subindo na mangueira, chupando manga tirada com a mão, escanchado no galho, balançando as pernas, o...

Pipoco Azul - por Anchieta Antunes

                           PIPOCO    AZUL   Aconteceu ontem. Após alguns anos dormindo na furna do esquecimento, minhas habilidades “eletricisticas” voltaram à tona. Por imperiosa força da necessidade, de...

A Preguiça - por José Anchieta

A    P R E G U I Ç A   Cultuo a preguiça como minha divindade mais fulgente, aconchegante e rodeada de lençóis brancos e macios, de puro linho egípcio de 800 fios. Ao anoitecer apresso meu desejo de que o dia venha em meu socorro, trazendo as horas de trabalho pesado,...

Envelhecimento - por Anchieta Antunes

          E N V E L H E C I M E N T O                        Parece que o envelhecimento caminha sem pressa, carregando nas costas um grande saco repleto de mazelas. A...

Caricatura da Pontuação - por Anchieta Antunes

  CARICATURA DA PONTUAÇÃO   Meu cantinho beijando o jardim aguarda-me varias vezes ao dia para conversarmos em silencio. As letras volteiam sobre minha cabeça esperando que as junte para adquirirem sentido, expressão,...

CADUCEU - por Anchieta Antunes

   CADUCEU    Brilha distante  a origem da vida,  no vale das sombras,  nos rios de prata,  nos mares índigo;  o trevo da sorte  solta nas pesadas folhas,  o raio da morte,  e faz trepidar  o ângulo do monte,  deixando...

Dia Internacional da Mulher - Mensagem de nosso colunista Anchieta Antunes

         DIA   INTERNACIONAL   DA  ...

O Viajante - por Anchieta Antunes

                                O     V I A J A N T E   Quando perco a fé na minha cama, levanto para vadear a aurora em busca de antigos acontecimentos. Estórias asiladas nos mais...

Circulo Universal dos Embaixadores da Paz - por Anchieta Antunes

CIRCULO   UNIVERSAL   DOS   EMBAIXADORES  DA PAZ.            Crianças de ontem e de hoje, alvoradas dos homens de amanhã, zelem seus corações, não abram as portas para a truculência. Silenciem o verdugo, apaziguem a...

A Face - por Anchieta Antunes

A     F A C E               Faz tanto tempo que moro no mesmo lugar, que adquiri sua fisionomia. Sinto-me parecido com a velha rua calçada, com a casa precisando de uma pintura nova para disfarçar sua idade provecta;...

Harpa - por Anchieta Antunes

  POEMA  DE  ANCHIETA  ANTUNES   HARPA   A harpa plangia augusta maviosas ondulações sonoras penduradas nas asas do tempo, balouçando claves, tons e semitons envolvendo a alma do passante desprevenido do amante embevecido.   Anchieta Antunes – D....

Saudade - por Anchieta Antuness

S A U D A D E   Tem gente que sente, eu mastigo. Quando ela vem  com muita força eu a transformo em massa de moldagem e faço uma porção de esculturas bizarras. Tenho um almoxarifado somente para as saudades mais contundentes, aquelas que me marcaram mesmo, como o primeiro beijo que ...

<< 1 | 2 >>

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

         

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor